3 Dicas para mudança de mentalidade

December 3, 2016

 

 

Quando pensamos em mudanças de vida imaginamos quase sempre um cenário muito radical, com mudança de emprego, casa, marido e mais um par de coisas. O que tenho para partilhar convosco sobre a minha mudança de vida é um pouco diferente disso, é mais “o que é que mudou em mim antes de, no meu caso específico, ter finalmente percebido COMO PODIA MUDAR”, e, no meu caso, em que é era realmente boa profissionalmente, em que tipo de trabalho me podia realmente especializar e ser feliz a fazê-lo. Percebi antes de mais, que a mudança estava na MENTALIDADE e que tinha de continuar todos os dias a insistir numa mudança na minha forma de pensar e de encarar novos caminhos possíveis: ser uma pessoa mais tolerante e positiva com as possibilidades da vida. 

Nem sempre uma mudança tem de afectar tudo no sentido concreto, pode ser apenas uma mudança de mentalidade e acreditem, sei do que falo, mudar uma mentalidade negativa ou limitada, é trabalho árduo para uma vida inteira. 

No meu caso quis dizer sair de uma vida onde trabalhava na área de vendas e formação e passava a vida fora de casa e fora da minha cidade de residência, o que me transtornava cada vez mais e que eu não sentia que me compensasses assim tanto em termos de evolução financeira e profissional.

Uma das minhas crenças limitadoras foi sempre que tudo o que eu conseguia tinha de ser com um esforço grande. Na verdade eu tenho sim uma enorme capacidade de trabalho que estava a ser mal dirigida e usada de forma extrema. Resultado, trabalhava para uma empresa que exigia muito de mim e eu andava constantemente a suprir faltas e a correr atrás do tempo, esgotada, revoltada, no limite.

Uma das dicas que posso dar é por-vos a pensar naquilo de que vocês têm receio de fazer mas que adoravam conseguir realizar. No meu caso, o que estou a fazer agora, ajudar pessoas usando a Astrologia Psicológica e o Coaching, era algo que me assustava, que eu achava que já havia muita gente a fazer o mesmo, tinha uma série de preconceitos em relação a uma coisa que estava na cara que eu adorava e que já ia fazendo com amigos e familiares. Nesta pergunta que vos fiz podem encontrar uma resposta que já por si vos esclareça. No vosso caso pode ser sobre a vossa parte sentimental, pode ser uma experiência que andam a adiar porque vos assusta e porque acham que não vale a pena, Mas o que é certo é que volta e meia vos vem à cabeça.

A segunda dica é escolherem bem as pessoas que vos podem ajudar, aquilo a que podemos chamar de criação de um peer group. Os nossos companheiros, filhos, amigos chegados e familiares podem amar-nos até às últimas consequências, mas não conseguem suprir todas as nossas necessidade e muitas vezes não conseguem dar-nos os conselhos mais certeiros porque já não têm distanciamento para tal e estão programados para nos protegerem e não para nos “mandarem para os lobos”.

O peer group como eu o entendo é um grupo de pessoas que pode nem sequer ter ligação entre si mas com quem podes falar via email, mensagens ou pessoalmente, naquelas alturas em que precisas de uma opinião “fresca”, realista, uma vista aérea da tua vida que só consegue dar-te quem te conhece mas está de fora e não convive todos os dias contigo. Pensa em quais serão essas pessoas e se por alguma razão te afastaste delas toca a procurá-las de novo e dizer: “preciso que me faças ver isto sob outro prisma”.

A terceira dica é um exercício básico de auto-coaching que consiste em parares de falar e pensar no vazio e sentares-te em frente ao computador ou com um lápis e caderno e escreveres uma lista com três coisas:
1 - o maior objetivo da tua vida e a data em que desejas tê-lo cumprido
2 – o que podes fazer já na próxima semana para ficares um pouco mais perto desse objetivo
3 – definires um dia e uma hora desta próxima semana para o fazeres. Pode parecer coisa pouca, mas já vi pessoas começarem a ter uma perspetiva sobre a vida e o seu futuro com muito menos. Isto não quer dizer que vás mudar em 1 semana, significa sim que vais perceber o que queres para ti e dar um primeiro pequeno passo nessa direcção. Melhor um pequeno passo do que nunca dares nenhum.

Há quem seja, com todo o direito, extremamente cético e crítico relativamente a estas ideias sobre Desenvolvimento Pessoal e novas formas de fé. O que é certo é que cada um de nós tem um caminho específico e único e que não se compadece com aquilo que os outros pensam sobre nós. O que tem de mais espetacular fazer esta ponte entre a interpretação astrológica do mapa natal e o Coaching é perceber que realmente libertamos a pessoa sem a condicionar, que há um enorme respeito pela individualidade, pela fragilidade e pelas forças do cliente. 

Obrigada e boas mudanças interiores!

A Joana Amoêdo Leite dá consultas de Astrologia Psicológica onde aplica também princípios do Coaching. O objetivo é perceber padrões de comportamento que já não servem propósitos úteis, padrões familiares que nos prendem a ciclos aos quais já não pertencemos e estratégias para sairmos desse ciclo de forma autónoma e honesta.

Podem encontrá-la em www.joanaamoedoleite.com ou no FB em https://www.facebook.com/ ajoanaamoedoleite/. As consultas são presenciais ou via Skype.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black Twitter Icon